Review

Stonewall – Onde o Orgulho Começou

Olá queridos leitores e leitoras, tudo bem com vocês? Faz um tempinho que eu não escrevo por aqui, não é verdade? Como não poderia deixar de ser, hoje trago para vocês um review, sobre um filme, que na minha humilde opinião, geral deveria ver. Não irei aqui exaltar este filme como o melhor já feito, e nem como sendo aquele filmão da Po**a, mas é um filme muito bom e que cumpre fielmente a sua proposta.

CAROS LEITORES, DAQUI PARA BAIXO PODE HAVER SPOLIERS, CONTINUE POR SUA CONTA E RISCO.

O filme Stonewall – Onde o Orgulho Começou, conta a história de como ocorreu a primeira revolução pelos direitos LGBTQI+ nos Estados Unidos da América. Todo o filme se desenrola através do olhar do Jovem Danny, que ao ser pego praticando sexo oral com um colega de classe, foi expulso de casa pelo pai Ultraconservador. Vale lembrar aqui que o filme se passa em meados dos anos 70, em um período onde ser homossexual era ser considerado como doente mental.

Após ser expulso de casa, Danny vai para New York, pois tinha o grande sonho e já havia ganhado a bolsa para estudar astrologia na Universidade de Columbia. Chegando lá ele vai direto para a Rua Cristopher que naquela época era tida como a rua da perversão, e é nessa rua que o jovem garoto do interior de Indiana, conhece a Rainha Ray, um gay afeminado que acaba apresentando para ele um grupo de homossexuais, travestis e uma Drag Queem.

” STONEWALL “
Photo by Philippe Bosse

Nessa mesma região, havia um bar que era controlado pela máfia, onde os gays se encontravam, pois naquela época era proibido ter bares e boates específicos para o publico LGBTQI+, e como já devem ter juntado os fatos, a mafia pagava propina para a policia e a policia fazia vista grossa para o bar. E foi justo nesse bar que Danny conheceu o ( me faltam palavras para eu descrever o safado) do Trevor que era um “Ativista Gay, mas que só lutava pelo direitos dos gays que vestiam terno e gravata, como ele mesmo disse. Como se não bastasse ele ainda conquistou a confiança do Danny e fez com que ele brigasse com as Rainhas, e nesse ponto também descobrimos que Ray, era secretamente apaixonado por Danny.

Em um dado momento depois de estar morando com Trevor, Danny descobre que ele é um grandessíssimo mau-caráter ao fragrar ele com outro no mesmo bar onde se conheceram e é ai meus amigos que tudo começa. O jovem de Indiana revoltado com o mundo decide partir sem rumo, só que antes disso ele decide se despedir de Ray, porém ele não encontra o amigo e ao atravessar a rua saindo da casa de Ray, ele é sequestrado e obrigado a virar Garoto de Programa. Bob um amigo das rainhas vê tudo e conta para Ray, que vai até o dono do Bar gay,  que confessa que ele sequestrou o jovem. Ray então ameça do dono da Boate cujo o nome é Ed Muppy, e faz com que Ed conte onde esta Danny. Com um plano de gênio, Ray consegue resgatar Danny antes que o menino faça o primeiro programa.

 

É então a partir desse ato meus queridos leitores e leitoras que tudo começa, pois temendo a represália de Ed, Ray juntamente com Danny vão até ele para pedir clemência, só que em paralelo a isso, um chefe de policia tido como super honesto invade o bar e prende Ed, pelo assasinato de um garoto de programa, só que o que este chefe novato não sabe é que todo o batalhão daquela região, recebia proprina de Ed, e por isso durante a confusão eles facilitam a fulga do marfioso. Danny vendo aquilo se revolta a começa um motim e faz com que todos os gays, começem a atacar os policiais encurralando eles dentro do bar. Depois de muita luta e quebra quebra tudo se culmina na primeira passeata do orgulho gay, que teve cerca de 10.000 pessoas.

Vamos aos destaques, as auto-intituladas rainhas, eram maravilhosas, mas tinha uma a rainha Kong, que  era simplesmente maravilhosa, conseguia fazer um look sensacional apenas com uma cortina de quarto. Além disso ela era a alto confiança em pessoa e não tinha essa de meias palavras com ela.

Cabe destaque aqui também, para a cena em que Danny é espancado por policiais, que tentaram o obrigar a fazer sexo oral neles. Contudo o destaque maior do filme com toda a certeza vai para a Rainha Ray, que conseguiu sem sombra de duvida passar toda  emoção e com uma atuação maravilhosa do ator Jonny Beauchamp representou toda a dor, sofrimento e humilhação que os Homossexuais passavam na época. Destaco aqui duas cenas dele como rainha Ray, que me emocionou de tal forma que eu nem consigo explicar: 1 Quando ele enfrenta os policiais na batida na boite e leva uma cacetada do rosto e mesmo ferido sai de lá para a delegacia com a cabeça erguida. 2 Após fazer um programa, ele é espancado pelo cliente que não se aceitava gay e é quando Ray o encontra deitado somente de roupas intimas, e ele desaba a chorar no colo do amigo, falndo que ele não tem familia e que estava sujeito a aguentar essa humilhações para não passar fome e morrer as mínguas na rua.

Stonewall - Onde o Orgulho Começou

Enrredo - 75%
Atuação - 80%
Trilha Sonora - 91%
Direção - 70%
Fotografia - 100%

83%

Pontuação Total

User Rating: Be the first one !

Posteiormente em um diálogo entre Danny e Bob, descobrimos que Ray, foi expulso de casa aos 14 anos de idade e por isso ele não conhecia outra vida a não ser a da prostituição. Como eu disse o filme não é aquela superprodução, mas é uma boa pedida para quem gosta de filmes baseados em fatos reais. Ele entrega ótimas atuações e um elenco ao mesmo tempo sofrido e divertido.

SE AINDA NÃO ASSISTIU ESSA LINDA OBRA, VOCÊ PODE ASSISTIR NA TV BOYS LOVE BRASIL:

CLIQUE AQUI E ASSISTA

 

 

Mostrar mais

Bob ribeiro

27, anos Brasilia, DF. Formado em Pedagogia e Administração de Empresas.

Artigos relacionados

shares
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas