Home Matérias Quebrada Queer

Quebrada Queer




  Apesar de não serem pioneiros no Rap, como afirma Murillo Zyess em dos versos da primeira música de trabalho do Quebrada Queer, os seis integrantes do primeiro grupo de Rap, formado inteiramente por pessoas Homossexuais no Brasil cresceu de uma maneira estrondosamente positiva e seus integrante Apuke, Harlley, Guigo, Tchelo Gomez, Lucas Boombeat e o já citado Murillo Zyess, chegaram ao cenário do Rap enquanto grupo por meio da musica. Quebrada Queer, que também deu origem ao nome do sexteto.

    Com seu primeiro vídeo produzido pelo canal do Rap Box e da Casa1, inicialmente eram apenas cinco integrantes do sexo masculino, e mais tarde, se juntaria a eles a DJ e Produtora Apuke Beat, que produziu o Beat da segunda música de trabalho deles intitulada: “Pra Quem Duvidou”.

    Sendo todos os integrantes de origem negra, oriundos de regiões pobres, eles, por meio de de letras fortes e empoderadas, apresentam em forma de canção, a vivência deles no dia a dia e contam pelos versos bem trabalhados e beats que marcam presença, como é a rotina de jovens negros gays das periferias. O primeiro vídeo deles fez tanto sucesso que chegou a render reportagens para canais famosos da cela Rap e da cena LGBTQI+.

      Como dito anteriormente, as rimas dos meninos trazem versos fortes, como “De onde eu venho é fome e medo de ficar na mesma, não caber na própria casa, sair pro mundo e não caber no mundo. Não cabe em verso cada tapa, momento, fraqueza” verso cantado por Lucas Boombeat, na penúltima parte da música Quebrada Queer. Ainda nessa mesma música, Harlley canta outro verso onde conta que “ Esse é só o primeiro desabafo que está entrando para a história e com certeza o meu pai não ia se orgulhar”, mostrando toda a venerabilidade e conturbação que muitos jovens LGBTQI+ passam dentro da própria casa. Tchelo e Guigo, cantam ainda “Então bota para fuder, cê meter gostoso, mas se enruste atrás do altar, não vem meter o loco” e “ Prepara os doce que a festa não parou por ai, Alice Guél ritou mandando Deus é Travesti”, respectivamente. Tanto um quanto outro, fazem críticas a hipocrisia da maioria dos cristãos, que dizem amar, mas atacam quem é diferente deles, ou pior ainda, em público são uma coisa e a sós, meus amigos, a história é outra, se é que me entendem.

    Em sua segunda música de trabalho, “Pra Quem Duvidou”, agora com produção independente o grupo contou com um Beat denso e que se encaixou perfeitamente com a proposta dos versos escritos e entoados pelos meninos. Beat esse, produzido pela talentosíssima Apuke Beat, que a partir daí passou a fazer parte do grupo. Para essa segunda música vale destacar os versos do Murillo, onde ele diz “Ameaçam de morte os meus, quando foi que tudo se perdeu? Percebe como é contraditório aqueles que matam em nome de Deus?” Em seguida Guigo, completa “Me chamaram de louco e me pediram para parar, me queimam na estaca e mesmo sem saber rezar”. Tanto um quanto o outro, fazem críticas ferrenhas sobre como os homossexuais eram e em alguns lugares do mundo, ainda são tratados pela igreja.

    Tchelo, por sua vez, em uma das partes mais tensas da música, faz uma referência  a canção “ Favela Sinistra”, em que ele rima “ Favela sinistra na madrugada, filha da puta assassino de TRAVA, se nós te vê nem tenta correr, nem que seja no inferno nós acha você, cuzão…” o qual claramente puxa o gancho afirmando que as travestis e não somente elas, mas toda a comunidade está cansada  de só apanhar sem nunca revidar.

    Todos os integrantes do Q.Q também têm projetos paralelos e com toda certeza vale a pena conferir o trabalho de todos eles. Nesse mês do orgulho, nós da Boys Love Brasil, afirmamos e reafirmamos a importância que é a visibilidade da comunidade LGBTQI+ em todas as classes, nichos e gêneros da arte e da sociedade.

Bobby Ribeiro
Bobby Ribeiro
Bobby é Mineiro, tem 28 anos é formado em Pedagogia e Administração de Empresas pela Universidade Católica de Brasilia. Administrador e desenvolvedor da Boys Love Brasil. Atualmente Administrador Presidente da Boys Love Brasil.
Bobby Ribeiro
Bobby Ribeiro
Bobby é Mineiro, tem 28 anos é formado em Pedagogia e Administração de Empresas pela Universidade Católica de Brasilia. Administrador e desenvolvedor da Boys Love Brasil. Atualmente Administrador Presidente da Boys Love Brasil.
5,067FansLike
3,591FollowersFollow
7,612FollowersFollow
1,800SubscribersSubscribe

Mais Lidos

BLAWards 2019 – Vote No Seu Favorito

(function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s);if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src='https://embed.playbuzz.com/sdk.js';fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}(document,'script','playbuzz-sdk'));

Until We Meet Again

%d blogueiros gostam disto: