Home Matérias Especial Dia dos Pais: WatterBoyy The Series

Especial Dia dos Pais: WatterBoyy The Series




Em WatterBoyy The Series temos em destaque um clube de natação que norteia toda a trama. Nele, fazem parte os protagonistas Waii e Apo, que após de um longo período de convivência – e conflitos – se veem apaixonados um pelo outro. Além disso, eles precisam lidar com as dificuldades que o clube está tendo para se manter, considerando o fato de que eles não têm tido resultados expoentes em competições.

       Entretanto, nesta matéria não iremos nos ater aos protagonistas da série, e sim a um dos personagens da mesma: O Treinador Tee, pai de Waii

       O Treinador Tee (ou P’Tee) possui uma relação muito difícil com Waii. Inicialmente somos apresentados a esse homem bonito, forte e rígido que cobra responsabilidade do filho, o qual é o capitão do time de natação. P’Tee inicialmente possui certa dificuldade de separar a relação treinador-aluno de pai-filho, muitas vezes entrando em discussões que não caberiam no momento. Entretanto, temos que concordar que Waii é uma pessoa bem difícil de lidar, sendo muitas vezes o dono da verdade e superestimando seu potencial. Ou seja, são dois elementos que entram em conflito por apresentarem características um tanto parecidas, que se chocam com facilidade. Será necessário que os dois amadureçam em alguns aspectos para que sua relação dê certo.

      Com a chegada de Apo – o qual passa a morar com o capitão do time, sob ordem do treinador – Waii é forçado a ver as coisas sob outra perspectiva, já que diferentemente dele, Apo é gentil e paciente, prezando sempre pelo diálogo em detrimento de discussões bobas.

      Acontece que ao longo dos episódios descobrimos o porquê há tanto conflito entre pai e filho: Tee está em uma relação homoafetiva com Kan, ex amigo de Waii. Waii não aceita, muitas vezes acusando seu pai de estar tentando substituir o lugar de sua mãe.

    As coisas ainda pioram quando, após flagrar Tee e Kan em um momento íntimo em casa, Waii descobre que seu ex amigo agora vive com eles e dorme na mesma cama que seu pai.

 

    Confesso para vocês que para mim um dos pontos altos da série é a relação do Treinador com Kan. Apesar de terem idades distantes, Kan se demonstra seguro de que ama Tee e não mede esforços para que eles convivam em harmonia, contribuindo com o que pode e fazendo parte da vida de Maii, filho mais novo de Tee e irmão de Waii.

     Infelizmente, como todo garoto imaturo, Waii ignora tantos aspectos positivos dessa relação, agindo de modo impulsivo, irresponsável e egoísta, já que deixa de considerar os sentimentos de seu pai e de como seu irmão mais novo é receptivo para essa relação.

     Como gosto de “descascar” os personagens, descobri que o Treinador Tee é um prato cheio para uma análise mais aprofundada por que ele apresenta camadas. Inicialmente ele parece um homem seguro, rígido com os alunos, rígido com seu filho e preocupado com os rumos que o clube de natação está tomando. Mas além disso ele ama o que faz, e isso fica mais evidente no final da trama quando ele se disponibiliza a trabalhar sem receber pagamento por isso. Ademais, cabe destacar que o treinador não se preocupa apenas com os resultados das competições, ele se preocupa com os alunos, seus medos, suas frustrações e sempre está disposto a ajuda-los e aconselhá-los.

    Entretanto, P’Tee também possui um lado não tão seguro e até triste. Há muitas cenas em que ele se encontra em casa sozinho, expressando frustração, medo, dor e até amargura. Se formos nos colocar no lugar dele entenderemos o por que.

       Se formos considerar a relação que ele possui com Waii e seu filho mais novo Maii, perceberemos que se ele continuar se relacionando com Kan, progressivamente a interação com o filho mais velho será cada vez pior. Além disso, sua vida pessoal poderia estar refletindo em sua vida profissional, como treinador. Será que os problemas pessoais não estavam influenciando sua atuação na gestão do time e por conta disso, nem o melhor dos participantes – Waii – estava tendo bons resultados?

       Mas o que fazer diante dessa situação?

       Se ele permanece com Kan, ele magoa Waii. Se ele termina com Kan, ele magoa seu namorado e fica ferido emocionalmente. De um jeito ou de outro ele magoa alguém e isso pode prejudicar seu trabalho.

       Acredito que esses dilemas possam ter levado ele a refletir até quanto a sua abordagem com Waii. Nos capítulos subsequentes ele chega a ser substituído por outra treinadora e vê seu amado clube estar ameaçado a ser extinto. Além disso, P’Kan começa a demonstrar insegurança na relação dos dois, indagando-se se não seria necessário que os dois fizessem algo para que Waii volte a frequentar a casa. Imagino o quão difícil era a posição de P’Kan nessa confusão toda: ser o indivíduo que se infiltrou na família e gerou o conflito que separou pai e filho; assim ele procura compensar com tudo o que pode e chega até a tentar dar uma lição em Waii.

       Infelizmente P’Kan toma uma difícil decisão e parte para a Coréia sem ao menos se despedir de seu amado, o qual acredita que ele está ocupado na universidade.

       Nesse meio tempo, Waii já demonstra ter mudado em muitas de suas opiniões com a ajuda – e os beijos – de Apo. P’Kan confessa a Waii que apesar de estar feliz ao lado de P’Tee, ele ama o clube de natação e precisa agir para que este seja salvo da extinção.

       Acredito que assim como eu, muitas pessoas ficaram com o coração doído quando por alguns momentos Waii tenta dizer ao pai o que houve com P’Kan mas ele não consegue. Enquanto isso, P’Tee volta a trabalhar como treinador do time de natação a fim de que eles consigam o número de vitórias necessárias para permanecerem na universidade, e aqui sim podemos ver muito mais da humanidade do treinador.

Por diversos momentos nem mesmo os alunos acreditam que podem vencer, mas P’Tee funcionou como aquela faísca que faltava para que ninguém desistisse. Além disso, Waii está passando por diversos dilemas no que tange seus sentimentos por Apo, e encontra em seu pai o apoio que muitas vezes ele nem se quer procurou.

      No entanto, em uma das visitas da estrela do time de natação à casa de seu pai, Waii se certifica de que P’Tee já percebeu que P’Kan o deixou para não mais voltar, em uma das cenas mais bonitas da série, onde podemos ver toda a vulnerabilidade do personagem e a nova relação que ele cria com seu filho.

      Felizmente, o pai do garoto watterboyy é duro na queda e permanece focado em fazer o time vencer ao passo que aconselha seu filho a seguir seu coração, pois isso pode ser um dos motivos para que ele se sinta tão frustrado até com seu desempenho na piscina.

      Assim, após conseguirem vencer as 5 vitórias necessárias, o time permanece ativo na universidade e tudo fica bem para os personagens da série, incluindo o treinador P’Tee. Finalmente, após um tempo P’Kan volta para os braços do amado, agora sob a benção do filho mais velho fechando o seu arco com um final feliz.

Eu particularmente me identifico com muitas histórias envolvendo pais e filhos por que são carregadas de dilemas. Essas relações podem muitas vezes ser difíceis, mas nos ensinam muito, principalmente no que diz respeito a reconhecimento pessoal. Em WatterBoyy isso é bem explorado e desenvolvido de modo efetivo – até melhor do que no filme – justamente por que uma série possui um tempo melhor para apresentar, desenvolver e finalizar a história de determinados personagens, e aqui com o Treinador P’Tee ela conseguiu.

P’Tee pra mim é aquele pai que quer aprender a entender seu filho. É o pai que espera o momento certo para elogiar, reconhecer e aconselhar. No entanto, muitas vezes ele não aparenta querer ser vulnerável, ou não sabe expressar seus sentimentos, tornando-se um enigma para seu filho e dificultando essa relação. P’Tee para mim é um cara cheio de amor pelo seu companheiro, filhos e alunos e merece destaque aqui nessa semana especial do dia dos pais.

Esperamos que ele permaneça em sua felicidade.

Bom, galera. Espero que tenham curtido essa matéria. Se não assistiram WatterBoyy corram para assistir, se já assistiram, então aproveitem para assistir novamente. Não deixem de interagir conosco da BoysLove Brasil. Abraços!

Andy
Andy
Um cara tentando experenciar as mais variadas formas de arte.
Andy
Andy
Um cara tentando experenciar as mais variadas formas de arte.
3,377FansLike
2,913FollowersFollow
6,013FollowersFollow
1,800SubscribersSubscribe

Mais Lidos

Uma breve síntese sobre a entrevista com um brasileiro residente na...

Olá, pessoal, tudo bem? Hoje, a matéria será um pouco mais curta, pois o foco na verdade, não é este texto, mas sim, o...

“Eu levanto essa bandeira”

ANITTA TAILANDESA!!!

%d blogueiros gostam disto: