Home Reviews Afronta, é guerra!

Afronta, é guerra!

Olá meus bombons de licor, tudo bem com vocês?

Hoje nós vamos iniciar a série de reviews sobre Tharn Type the séries. Uma série que foi muito aguardada e já chegou, digamos que, criando um rebuliço.

 

 

Sem mais delongas vamos ao que rolou nesse primeiro episódio. – Se você ainda está meio perdido na história recomendo que leia a matéria em que falo sobre o enredo da série (baseado na novel), descrição dos personagens, atores e mais.

Começamos o episódio sob a perspectiva de Type – na minha opinião a narrativa vai ser feita por ele, contudo ainda é cedo pra falar. Já que tivemos apenas um episódio – ele contando como vem sendo a vida na faculdade, amigos e é claro seu roommate. De cara nós notamos que Type tem uma personalidade forte, e também que muitos terão uma certa dificuldade em aceitar e entender o Type já que ele se intitula totalmente homofóbico, e como muitas vezes diz “Odeia gays!”. O que ele não sabia era que o cara com quem ele vinha dividindo o quarto e o qual se aproximara tanto era justamente o que ele mais odiava. – Por favor eu sei que é complicado, mas não odeiem o Type. Muitos não devem saber, mas ele foi molestado quando criança por um homem e por isso se tornou tão preconceituoso. Vamos ter paciência com ele, pois vai ser um personagem com desenvolvimento grande e, devo acrescentar, cansativo.

Quem deu a notícia foi nosso amado No – personagem que esteve na nossa eterna Love By Chance vívido pelo Gun -, nesse momento eu achei que ele falou demais, entretanto é nítido que sob esse “ódio” vai ser construído toda a trama da série.

 

 

Completamente transtornado Type vai tirar satisfações com Tharn sobre sua sexualidade e o fato dele não ter lhe contado isso antes. Em uma discussão um tanto quanto acalorada, notamos que Tharn também não irá dar o braço a torcer. E mesmo diante de tantas frases carregadas de preconceito ele se manteve firme e deu uma verdadeiro sermão. E como o contrato do quarto era de um ano, nas próprias palavras de Tharn, ele teria de viver com aquele homem gay durante todo o período determinado já que Tharn não sairia de modo algum – Errado não está, afinal nenhum erro foi cometido pela parte de Tharn. Ele não vai se deitar para você Type, tu que lute amigo.

 

 

Frustrado pelo seu confronto não ter saído como o esperado, e o fato de seu roommate ser gay não ser uma boa “desculpa” para fazê-lo ser expulso, Type recorre a No para que consiga achar alguém com quem trocar de quarto. Mas quem desejaria fazer isso? Aquela medida do campeonato todos já estavam entrosados com seus colegas de quarto, e digamos que o rosto ‘receptivo’ de Type não ajudou muito na conversação. Nem mesmo o doce No deu uma desenrolada nesse “esquema” – Momento de enaltecer ao Mild 1: Socorro o Mild está o ser mais fofo do mundo nessa série, o sorriso, a risadinha, eu estou completamente apaixonada. Vai ser incrível ver o desenvolvimento dele como ator já que anteriormente seus papéis tinham mais um foco no cômico. Ansiosa estou!

 

Os dois foram em todos os quartos do andar, mas nada feito. Entre coleguinhas abrindo a porta completamente nus – desculpe eu tinha de citar isso – e aqueles que sequer abriam a porta, eles literalmente morreram na praia.

Entretanto ainda restava um quarto, que por acaso ficava ao lado do seu atual que ele divide com Tharn.

E é nesse quarto que vivem dois personagens que vão personificar a frase “As paredes tem ouvidos”, Klui e Seo. Um apaixonado – e muito bem entendedor – pela cultura coreana e outro um tanto quanto curioso.

 

Mesmo Type tendo melhorado um pouco sua abordagem a resposta ainda foi não. Mudar de quarto não seria uma tarefa tão fácil. E mal sabia ele, mas, fazer Tharn sair também não.

A afronta teve continuidade quando Type literalmente foi para de cima de Tharn, para que ele saísse, com frases pejorativas e muito maldosas. O que teve de contrapartida uma aproximação um tanto quanto forte por parte de Tharn.

 

 

Mesmo não passando de um sonho, o susto foi real aqui. Passado o tombo – literalmente amados, nosso Type tremeu na base com a aproximação e caiu da cama –, vamos para outro local e o surgimento – mesmo que breve – de outros personagens essências na trama. Estes são Tum e Long.

Enquanto Tharn e Long conversavam sobre o estado um tanto quanto preocupado do maior e assuntos da banda dos mesmos uma troca de olhares feroz ocorreu entre Tharn e Tum. Uma história a se desenvolver aqui também – Uma treta que eu vou chamar de “a treva” ainda tem de ser resolvida entre eles, algumas pessoas podem não saber, então vou apenas citar os ‘personagens’ Tharn, Tum e Tarr.

 

 

Voltando ao No e Type, ainda convicto de que viver com um colega de quarto gay é algo inadmissível Type pede ajuda a No para que juntos bolem um plano. Depois de listar inúmeros pontos que supostamente fariam Tharn desistir e sair, Type corre para colocá-los em prática.

E é nesse momento que No se pergunta se ele realmente deveria ter contado sobre a sexualidade de Tharn. Até porque a relação deles algumas semanas antes era bem amigável. Porém agora …

 

Ela ficou, digamos que turva. E quem pensou que Tharn ia se calar é desistir errou e feio. Ele deu uma resposta a altura, e começou a tocar na ferida de Type.

 

Se ele via Tharn apenas como um promíscuo que queria transar com todos que viam pela frente, bem … Foi assim que ele começou a de mostrar a Type.

 

É nítido como a simples presença de um homem gay traz pavor a Type e ele demostra isso de forma violenta, ele criou uma verdadeira muralha. Diante da resistência de Tharn, Type prosseguiu. Dessa vez trouxe amigos para beber sem avisar a Tharn, só que novamente não saiu como o planejado. Em vez de sair, Tharn juntou se a eles.

 

Incomodado com a situação Type tenta sair, mas é seguido por Tharn. O mesmo o insulta expondo sua infantilidade a usar desses planos fúteis porque não consegue conviver com uma pessoa que é diferente de si. E quando Type tenta insultar Tharn dizendo que iria contar sobre sua sexualidade a seus amigos, Tharn pergunta se os amigos dele não iriam desconfiar da relação dos dois após descobrir esse fato e isso preocupa Type – A masculinidade frágil dele meu pai.

Não foi só os telespectadores que ficaram de olho nessa discussão acalorada, com direito a beijo na bochecha, nosso colegas enxeridos Klui e Seo também estava atrás das plantas a espiar.

 

 

Esses dois são muito engraçados, e posso estar errada mas senti um cheiro de casal aí. – Deixe-me ser Alice em paz, ok?

De volta ao quarto, tivemos um momento bem filósofo de botequim “não importa o pornô mais sim quem está a assistir” – não vou mentir, eu concordo.

 

Passados mais horas de bebedeira, os amigos se foram e sobrou apenas Tharn, No e um Type completamente apagado na cama.  Enquanto No chamava por Type ele começou a conversar com Tharn.

 

 

E foi aí que No tentou livrar a barra do amigo, ele também não sabe o real motivo de Type ser tão homofóbico, deixando claro que ele não é uma pessoa ruim. – Hmmmm …

Pensando no bem do amigo e de Tharn, No pede para que Tharn saia do quarto, pede que desista. Todavia Tharn nega alegando que se ele sair vai estar dando razão aos inúmeros insultos de Type, vai estar concordando com o “erro” na sua sexualidade que Type tanto alega, vai estar compactuando com tudo que ele diz, e isso ele jamais vai aceitar.

Diante da negação de Tharn, No se vai. E é aqui que a situação começa a desandar.

 

 

Tharn abusa de Type, mesmo alegando minutos antes que não faria nada a ele, o mesmo o beija enquanto ele está desacordado … E foi aí que o episódio chegou ao fim.

Eu não vou romantizar isso de forma alguma. Depois que o episódio saiu eu vi inúmeras pessoas dizendo que não era nada demai, e outras militando – e com razão – sobre essa cena. Na minha opinião a Tailândia tem inúmeros erros assim, esse não é o primeiro Bl que mostra esse tipo de cena e infelizmente não será o último. Para você que militou sobre essa cena, deixo aqui meus parabéns, e pra você que acredita ser normal ou “nada demais”, teu livre arbítrio. Mas algo que eu achei muito errado foram pessoas confundindo a ficção com a realidade, é difícil de acreditar que em plenos 2019 tem gente que ainda faz isso, mas eu vi e não foram poucas. Por favor não diminuam o trabalho do ato, e da produção. Isso é uma obra fictícia, vamos ter o mínimo de noção e saber separar isso. Pra quem já desistiu da série por essa cena, eu entendo. Realmente entendo, esse é um assunto muito delicado e muitas vezes pode ser um gatilho quando ligado a situações anteriores. Mas na minha opinião ainda é cedo para julgar o conjunto, então eu vou aguardar. Por hoje é só beijos e até a próxima.




Lay
Lay
Lay é uma garota apaixonada por literatura, amante de gastronomia e sempre aceitando mais um Dorama. TXT é meu xodó ❤️
Lay
Lay
Lay é uma garota apaixonada por literatura, amante de gastronomia e sempre aceitando mais um Dorama. TXT é meu xodó ❤️
4,281FansLike
3,467FollowersFollow
7,203FollowersFollow
1,800SubscribersSubscribe

Mais Lidos

BLAWards 2019 – Vote No Seu Favorito

(function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s);if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src='https://embed.playbuzz.com/sdk.js';fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}(document,'script','playbuzz-sdk'));

Until We Meet Again

%d blogueiros gostam disto: