Como podemos observar, o universo BL de modo geral é repleto de personagens cuja configuração de relacionamento homoafetivo ainda persiste numa imagem que compõe as figuras de HOMEM e MULHER. Reflexo este abordado em inúmeras séries cujo contexto romântico se direciona aos rapazes que possuem estereótipo hétero dentro dos padrões de uma sociedade heteronormativa.

Podemos observar que ao longo de muitas histórias, os padrões de comportamento hetenormativos geram tabus entre os personagens que normalmente iniciam o conto héteros e se “transformam” em homossexuais, deixando no ar que a homossexualidade é um estado volátil ou transformável de um período para outro.

Além de que, a concepção arcaica de muitos personagens são reflexos do padrão imposto na criação social da família, em que a homossexualidade deve ser vista pelos BL’s com capas cristalizadas e engessadas de indivíduos padrões que muitas vezes recriminam o indivíduo púbere de personalidade frágil, que em algumas séries é caracterizado com papéis de comédia ou amordaçado pela repreensão do padrão, se submetendo aos gostos nocivos de outro indivíduo, por se expressar de maneira feminina.

Fato este contado ao longo de muitas obras, cuja constituição do sentimento acontece apenas entre padrões, deixando de lado algumas vezes em que os personagens homossexuais femininos possuem um final feliz ou protagonizem a história junto a um homossexual padrão.

A fragilidade histórica de interação entre os personagens de BL’s são enfatizadas na ideia de que os homossexuais padrões estão em sua totalidade na vida real, por isso que em algumas histórias, os personagens drag queens ou transsexuais surgem como uma resposta a subestimação do rompimento da bolha da padronização romantizada entre jovens, cuja felicidade vem de um meio abusivo e duvidoso no decorrer do conto.

A masculinidade homossexual veste-se como um cristal e sofre estereotipicidade de heterossexualidade, em que os homens se camuflam com fortalezas para esmagar e reprimir seu semelhante pelo simples fato dele ser queer.