E mais uma vez estamos observando que o negócio rentável, aclamado, plastificado e engessado tira o sossego de muitos atores e os fazem tomar atitudes questionáveis do ponto de vista da associação de seu personagem a sua vida pessoa.

O FAN SERVICE tem como objetivo a contratação, apresentação, encenação, interação entre os atores de BL’s em seus respectivos personagens com os fãs , fazendo-os passar por certos constrangimentos disfarçados de simpatia pela satisfação de uma massa tóxica que possui o intrigante poder de destruir seus mimos.

A partir do momento em que o ator encerra seu conteúdo profissional nas telinhas, sua intimidade até onde todos nós sabemos não deveria ser exposta sem autorização do mesmo, porém o mundo fantástico de Alice dá poderes aos espectros gritantes de colocar linhas nas vidas financeiras de muitos atores pela vontade de tornarem seus sonhos realidade.

Porém, existe um paradoxo entre a encenação e a realidade, pois os espectros ao saberem de notícias amorosas de seus amados, mudam totalmente o pensamento primitivo de um pseudo amor e caem em um lado podre de lamentos. Sendo assim, são capazes de sufocar seus brinquedos até que sejam descartados ou extintos dos holofotes midiáticos, prejudiquem-os nas demais áreas do amplo mercado artístico.

O FAN SERVICE é uma fonte fantástica de uma reprodução moderna do baile de máscaras, onde a atração principal é recebida pela plateia sedenta de sonhos e expectativas sombrias que devem girar em torno de seus dedos.

A partir do momento em que existir o olhar humanizado para a vida de indivíduos públicos que transmitem para a sociedade mensagens de conscientização social, mas que merecem ter sua vida pessoal guardada a sete chaves e serem minimamente respeitados, os mais diversos casos pessoais de cada um não eclodirão como alimento para os gritos famintos de controladoras impulsivas.

No momento em que o fã torna a vida pessoal de seu artista favorito um palco pra querer expor e se meter na vida alheia, o respeito já é carta fora do jogo. Ossos deste magnífico ofício que carece de respeito e separação do mundo fantástico e o mundo real, por se tratarem de seres humanos dotados de sentimentos e desejos com seus momentos íntimos dignos da inviolabilidade social.