9.9
Nota Geral

Pontos Fortes

  • Atuação
  • Enredo
  • Trilha Sonora
  • Cenografia

Pontos Fracos

Atuação
10
Enredo
9
Trilha sonora
10
Cenografia
10

Resumo do Review

Nesse episódio nossos chopuchais estavam bem preparados pra fazer todos surtarem. Entre miados, olhares e beijos intensos, acompanhe mais um review de Why R U? The Series

Olá, meus unicórnios, tudo bom?

  Hoje nós vamos para mais um review dessa série, que a cada episódio causa surtos de fofura ao mesmo tempo que tira o fôlego. Não só de quem está interpretando (quase que literalmente), mas de quem está assistindo (nesse caso já é literalmente mesmo). Sem mais enrolação, prontos?

  O episódio inicia com nossos chopuchais favoritos, quando Tutor pergunta novamente para Fighter se ele gosta de garotos e sua resposta é a mesma da primeira vez, um beijo, que dessa vez é correspondido. Tutor para o beijo e pergunta se isso seria a confirmação, mas Fighter logo estraga o clima dizendo que teve o mesmo objetivo de antes, apenas provocá-lo. Deixando Tutor visivelmente desconfortável e irritado, tanto que para quem sempre tem uma resposta na ponta da língua, ele não falou mais nada, nem mesmo quando Fighter disse que já ia embora.

  Tutor marcou para conversar com Hwahwa, mas ela não apareceu, e eles acabaram conversando pelo celular. Assim que ele desliga, Fighter chega e senta, perguntando o porquê de Tutor estar ignorando suas ligações. Entretanto, quando o outro quis conversar sobre a noite passada, Fighter não deixou ele voltar para esse assunto e disse que apenas estava provocando-o, e que ele não deveria levar tão a sério, mesmo que para ele não seja bem assim. Com o silêncio que havia se formado entre eles, Fighter tenta puxar assunto perguntando que horas terminava a aula de Tutor, pois ele o buscaria para estudarem juntos em seu quarto, e dessa vez, quem corta a conversa é Tutor dizendo que não teria tempo pois iria trabalhar na cafeteria de P’Kae. Com isso, ele se despediu rapidamente e saiu, deixando Fighter sozinho. 

  E aqui vamos para uma cena tensa, na qual temos um casal de amigos na loja de P’Kae, onde mais uma vez Tutor sofre assédio, pois um deles começa a tocá-lo, porém, agora não tínhamos Kae para proteger Tutor. Cada vez que o cara passava mais e mais a mão em Tutor, mais desconfortável ele ficava, e sem saber o que fazer, até Fighter chegar e botar moral. 

  Primeiro, ele pede que Tutor o espere do lado de fora e depois diz para os dois da mesa que Tutor era seu namorado e eles deveriam ter mais respeito, para pensarem nisso na próxima vez senão… em outras palavras, ele faria a mesa voar em direção aos dois. Quando Tutor pergunta o que ele tinha falado para eles, Fighter responde que falou que ele era seu namorado, criando um clima que logo é estragado pelo mesmo quando diz que também respondeu que os dois tinham transado. Depois Tutor pergunta o motivo dele ter ido lá e Fighter responde que estava livre, então queria vê-lo (desocupado, eu chamaria), mas percebeu que estava irritando Tutor e fez menção de sair. Porém, Tutor o chama de volta e Fighter questiona de novo se está irritando ele, mas responde a si mesmo dizendo que não importava, pois Tutor ficaria com ele por um longo tempo, criando um clima entre os dois que já é comum. Tutor volta a trabalhar, mas antes o chama de urso coala.

  Chegando na casa de Fighter, Tutor começa a andar pela casa impressionado, por achar ela parecida com sua casa antiga, antes de sua família falir. Após isso, Fighter guia Tutor até seu quarto para estudarem e logo ele implica dizendo que preferia estudar em seu apartamento. Fighter responde que pelo menos agora eles estavam juntos. Essa foi uma cena leve dos dois, considerando que eles sempre ficam entre dois extremos: muita tensão sexual ou muita briga. Após a aula, quando iam saindo, encontram com o pai de Fighter sentado na mesa. Ele apresenta Tutor e diz que estava pagando para ele ajuda-lo nos estudos. Mas o pai dele logo pergunta se Fighter estava se encontrando com Hwa, deixando os dois numa situação desconfortável, então ele responde que não e que se continuasse perguntando iria embora, mas seu pai diz que não era necessário, pois ele mesmo já estava saindo.

  Essa com certeza foi uma das cenas mais fofas da série e parece que miar é algo comum na Tailândia (não sei se acho fofo ou fico com vergonha alheia). Tivemos mais interações do nosso casal secundário Japan e Tanthai. Dessa vez, na casa de Japan, enquanto ele brincava com o gato e não percebia Thai ali, que por sua vez observava a situação na sua frente, se questionando se era o mesmo cara rígido da faculdade, chegando à conclusão de que preferia aquela versão fofa dele. Quando Japan nota que estava sendo observado, tenta se explicar, mas Tanthai responde que ele não precisava fingir outra personalidade, e explicou que tinha ido procurar Junior, (irmão de Japan) e acabou encontrando um gato gigante. Depois de miarem um para o outro e flertarem da maneira mais engraçada e fofa possível, Tanthai se despediu com um beijo na mão de Japan, que assim que Thai saiu, logo surtou pelo beijo e ficou todo bobo.

  Acharam que a fofura terminaria por aí? Temos agora Zon e SaiFah agindo que nem aqueles casais apaixonados. Zon cria coragem e liga para SaiFah na intenção dele o ajudar a comprar um violão. Como ele não sabia onde comprar e nunca tinha feito isso, chamou SaiFah para ir junto, que logo começou a surtar do outro lado de tão feliz que estava, e Zon também não ficava atrás nos sorrisos bobos. Ele começou a dizer que SaiFah deveria estar livre e disponível nesse dia apenas para ele, fazendo o outro ficar mais feliz ainda. E quando desligaram, os dois ficaram com seus sorrisos bobos.

  Tutor estava ensinando novamente Fighter, mas eles tinham dado uma pausa para Tutor comprar comida para eles. Todavia, quando ele serviu Fighter, ele começou a separar os vegetais, e logo Tutor pergunta a razão dele estar fazendo isso. Fighter responde que não comia couve chinesa, então Tutor tenta pegar o prato, mas ele não deixa dizendo que comeria  Logo após, Tutor começa a tirar os vegetais do prato de Fighter e colocar a carne em seu prato. Isso fez Fighter ficar surpreso, dizendo a Tutor que nunca ninguém tinha feito algo assim para ele, e que Tutor foi o primeiro, deixando-o, dessa forma, distraído com suas palavras e acabando por derrubar comida nele. Quando estava limpando a bagunça, Tutor percebe que o coração de Fighter estava acelerado, este que por sua vez beija a mão de Tutor. Quando estavam prestes a se beijar, Tutor volta a raciocinar melhor, lembrando de todas as vezes que Fighter dizia que o beijava apenas por provocação, mesmo os dois não acreditando nisso. Tutor não sentia segurança e confiança nos sentimentos de Fighter, então ele diz que já ia para casa, sozinho, e Fighter se oferece para chamar seu táxi.

  SaiFah aparece enrolado num cobertor, na escada da faculdade, liga para Zon e diz que está esperando perto da sala de aula. Quando Zon chega, ele se depara com um “doido” de cobertor o esperando. Depois, SaiFah mostra a música que escreveu para tocarem juntos a Zon. Então, Zon fala que aos finais de semana passaria a dormir na casa de SaiFah, para praticarem juntos. Depois disso, ele diz que dessa vez queria ensaiar em um lugar mais livre, então deveriam ir para o terraço, e Zon concorda. Chegando no telhado, SaiFah percebe Zon aéreo e pergunta se ele queria praticar, e ele responde que sim, mas queria admirar o momento primeiro, pois as estrelas estavam lindas. SaiFah observa e percebe que realmente estavam lindas, mas quando olha para o outro, é nítido que passou por sua mente que mesmo as estrelas estando lindas, nenhuma se comparava a pessoa que estava a sua frente. Zon pede que SaiFah tire uma foto sua, mas o garoto o faz pedir de um jeito que parecia mais um pedido de namoro do que de uma foto. Ele bate a foto e depois Zon bate uma foto sua, e por último eles batem juntos. Prontos para começar a ensaiar, Zon começa a cantar a música que SaiFah escreveu, e surgem momentos deles enquanto cantava e, em seguida, mais lembranças.

  Nesta cena, podemos perceber porque Fighter ter esse jeito de falar asperamente e nunca dizer o que realmente quer e sente. Seu pai o chama, e mesmo que ele não quisesse conversarele, seu pai não deixou muita escolha. Fighter diz que o ouviria se ele não tentasse controlar a sua vida. O homem é direto e curto (e idiota), dizendo a Fighter que a mãe de Hwa contou que ela chorava todos os dias porque Fighter a estava ignorando e que ele deveria pedir desculpas e voltar a ver ela, mas Fighter responde que não faria isso. Seu pai fica irritado e responde que ele não tinha escolha, pois como ele namora com a mãe de Hwa, seu filho deveria namorar a filha dela e cumprir o acordo deles, e termina dizendo que Fighter deveria pensar em seu futuro    . Fighter continua relutante, fazendo seu pai achar que ele teria outra namorada, mas o garoto responde que não tinha outra namorada e quando ia continuar, seu pai o cortou dizendo que não tinha essa de  ”mas” e que ele teria que pedir desculpas a Hwa e fazê-la voltar com ele, encerrando a conversa assim e deixando Fighter extremamente irritado e frustrado.

  Na faculdade, Fighter se encontra com Hwa e não demora para começarem uma discussão, pois assim que Fighter responde a ela que eles precisavam falar sobre a relação, a garota surta e diz que se ele queria terminar ela não iria permitir e falaria com sua mãe, o ameaçando de certa forma, dizendo que contaria ao pai dele, sabendo o efeito que tinha sobre Fighter. Ele tenta dizer que isso era algo apenas entre os dois e não deveriam envolver seus pais nisso, mas Hwa acaba dizendo tudo que estava entalado, fazendo com que Fighter, alguém que raramente dizia o que queria, responder que gostava dela, mas ela não era a pessoa certa. Isso foi um verdadeiro banho de água fria, ela não conseguiu argumentar mais e mandou ele ir embora diversas vezes, mesmo ele tentando fazê-la entender, em silêncio, que ele não queria magoar ela e então saiu.

  Hwa então corre para Day, (que finalmente deu o ar da graça), e diz que Fighter não queria mais sair com ela. E quanto mais ela falava, mais ele criava coragem para dizer o que sempre quis. Ela contou que sentia a necessidade de ter alguém responsável por seus sentimentos, e quando perguntou por qual motivos os garotos não conseguiam pedir uma garota em namoro, Day finalmente pergunta se ela queria namorar com ele. (Sim, foi do nada, mas até eu aceitava). Então eles se beijam, e ela concorda apenas balançando a cabeça, fazendo os dois sorrirem fofamente.

  E aqui é o momento que a série nos faz shippar um casal só pra sofrer. Blue estava colocando os cones no campo de futebol quando Dew chuta um deles e quando o garoto vai buscar, acaba trombando com Champ, fazendo os dois caírem um em cima do outro. Logo eles se levantam e Champ se preocupa com Blue, perguntando se ele havia se machucado, e quando percebe que estava tudo bem, volta a jogar. Dew logo vai implicando com ele, perguntando se ele gostava do seu amigo e nosso pequeno responde que gostava mais de Champ do que de Dew (ícone sem defeitos, nunca critiquei).

  Zon chega no quarto de SaiFah e quando o vê dormindo no sofá, joga sua mochila em cima dele, fazendo-o ficar confuso do porque ele está ali, pois achava que ele estava brincando quando disse que dormiria na casa dele. Então antes de praticarem, SaiFah puxa Zon bem para perto e pergunta se ele não tem medo dele se apaixonar assim como na novel, mas Zon pega o violão e fala para praticarem, deixando aquele clima fofo que já é a marca registrada desse casal.

  Vamos para a última cena do episódio, onde foi um surto atrás de outro. Tutor estava ensinando Fighter, que começa a implicar com ele novamente. Fighter pega o livro de Tutor, e quando ele vai pegar de volta, acaba acontecendo um beijo por acidente. De início, os dois se afastam, mas depois Tutor resolve beijar Fighter, que retribui com ainda mais intensidade.  Mas Tutor se afasta dizendo que deveriam parar, e pergunta se Fighter sabia o que estava fazendo. Ele consegue fazer tudo ir ladeira abaixo quando pergunta se Tutor achava que ele gostava dele, que responde perguntando se ele ainda estava tentando se enganar após tudo o que fizeram. Então Fighter desafia Tutor, ao dizer que se ele realmente acha que existe sentimento no que fizeram, Tutor deveria provar o tipo de pessoa que ele era, questionando se Tutor se atreveria a fazer isso. Então Tutor inicia outro beijo, só que com mais vontade dessa vez, como se os dois tivessem necessidade um do outro, mas não conseguissem admitir que era exatamente isso, que queriam aquilo mais que qualquer coisa. E o decorrer da cena só comprova mais e mais esse fato. Contudo, quando parecia que iam até o fim do que estavam fazendo, Fighter lembra da pergunta se ele era ‘’chopuchai’’ e encerra o momento, dizendo a mesma coisa que Tutor disse antes que. Mas antes de sair, fala para Tutor que ele deveria perguntar a si mesmo o que sentia por ele, e indo embora. Tutor depois de um tempo escuta uma batida na porta e vai atender achando que era Fighter, acabando por ter uma surpresa.

  Bom meus amores, por hoje é só, espero que tenham gostado. Beijos.