• 14/05/2021

Lei BTS é aprovada na Coreia do Sul e permite adiar o serviço militar obrigatório para os K Idols.

Hello, hello, como estão?

O ano de 2020 ainda pode trazer boas surpresas, na terça-feira (01/12) foi aprovado pelo Parlamento da Coreia do Sul um projeto de lei sobre a permissão para artistas do K-pop reconhecidos mundialmente – como o BTS -, para adiar o serviço militar obrigatório até os 30 anos de idade.

Vamos abrir um parêntese aqui para falar da história, ok?

Em 1950 a Guerra da Coreia começou e, diferente de muitos casos, três anos depois do seu fim houve um acordo de cessar-fogo e não com um tratado de paz entre os países. Por viverem em extrema instabilidade de relacionamento, na Coreia do Sul se tornou obrigatório serviço militar, afinal, eles precisam estar preparados caso ocorra um novo conflito.

Como funciona?

Os homens devem completar de 21 a 24 meses de serviço militar entre os 18 e 35 anos. Sim! Ao contrário do Brasil, ao completar dezoito anos de idade eles se apresentam para o quartel, lá eles podem escolher o melhor momento para se alistar, mas isso não impede que o Exército te notifique para se apresentar, principalmente se você não está estudando ou tem um emprego fixo.

Existem cinco categorias para se trabalhar na Forças Armadas Sul Coreana, são elas:

:small_blue_diamond: Exército (ROKA)
:small_blue_diamond: Marinha de Guerra (ROKN)
:small_blue_diamond: Força Aérea (ROKAF)
:small_blue_diamond: Fuzileiros Navais (ROKMC)
:small_blue_diamond: Forças de reserva

Devido a possibilidade de conflitos é preferível que o alistamento ocorra para servir na linha de frente, como soldado ativo. Ao iniciar seu dever militar, os homens comparecem a uma junta de recrutamento para fazer um exame físico para identificar em qual dos sete níveis o soldado pode melhor servir ao seu país.

Nível 1 ao 3: Dentro desses níveis, o soldado se apresenta para o serviço Ativo, pois, são categorizados como saudáveis, tanto fisicamente quanto emocionalmente. Após passarem pelo treinamento básico, são designados para suas colocações oficiais entre: Infantaria, Marinha, Aeronáutica, Forças Especiais, Polícia ou Corpo de Bombeiros.

Nível 4: São os que se qualificaram por pouco para o serviço ativo, por isso acabam servindo como agente de serviço público ou como também é chamado, serviço não militar. Apesar de não estarem tão saudáveis para o serviço ativo, não são considerados inaptos, ou seja, incapazes. Então trabalham como: policiais de trânsito, escritórios públicos, como aqueles seguranças de casacos verdes em estação de metrô, em recepção ou estacionamento de órgãos públicos.

Nível 5 ao 7: Esses são os mais raros de aparecer, são os que recebem a isenção do serviço militar, isso porque possuem alguma deficiência física, doença mental severa, obesos ou são aqueles que o Exército Coreano categoriza como “pessoas que poderiam criar desarmonia em suas unidades”. Nessa categoria ainda se encaixam homossexuais, aqueles com muitas tatuagens, coreanos mestiços, cidadãos nascidos na Coreia com pais ou avós estrangeiros e ex-condenados.

Um adendo, eu não sei muito sobre esses dos tatuados mas, o Taeil do Block B:


(Lindo, maravilhoso e tatuado, fora às escondidas)

Ele não teve liberação, então eu não sei o QUÃO tatuado a pessoa tem que ser para ser liberado ou se isso já mudou, até porque essas informações foram postadas pela KoreaIn há três anos ou pela SUJU Brasil.

Olha aqui ele fardado <3

Mas, vale lembrar que mesmo tendo a isenção por problema de saúde, existem alguns que ainda vão para fazer o serviço não militar, como por exemplo o HeeChul do Super Junior, ele recebeu nível 5 devido a um acidente em 2006 onde fraturou a perna esquerda em cinco lugares (até hoje ele possui algumas limitações), mas em 2011 ele se apresentou e serviu por 24 meses. Durante o período militar, HeeChul era pouco visto nas redes sociais e trabalhou no departamento de celebridades, além de apresentar um programa de rádio do exército. Sua liberação aconteceu em dia 30 de agosto de 2013.

Quando eu li sobre, me perguntei o porquê dele se sujeitar isso, sabemos que a sociedade de lá é muito tradicional e patriarcal, então para eles os jovens que se recusam a se alistar são visto como covardes e sofrem punições por sua escolha, podendo até ser preso por mais tempo do que os dois anos de serviço.

Como falei anteriormente, existe essa brecha no sistema deles em relação a idade para se apresentar ao exército, mas é muito comum que uma maioria prefira se apresentar por volta dos 21 anos, durante o segundo ano da faculdade. Porém, no caso dos idols e atores, essa idade é quase que o ápice do seu sucesso, por isso é muito comum que as celebridades vão para o exército por volta dos 28 ou 29 anos.

Isso porque antigamente existia uma categoria dentro do Exército chamada, “Celebrity Unit”, com o objetivo de ajudar os idols a manterem suas habilidades artísticas, já que não tinham como treinar a atuação, canto ou dança no quartel, além de evitar que o mesmo se machucasse. A Celebrity Unit acabava servindo então como propaganda do Exército coreano, participando de eventos e vídeos promocionais.

Durantes anos a unidade foi alvo de polêmicas e represálias da sociedade, que alegavam que os artistas continuavam com suas carreiras normalmente e que eram preguiçosos e não tinham o senso de responsabilidade militar. Um exemplo disso foi o astro Psy que terminou seu serviço em 2003, ele recebeu duras críticas sobre seu tempo no exército e teve que se realistar em 2007 ficando até 2009 como Soldado de Primeira Classe, segundo registros ele foi a única pessoa a cumprir duas vezes.

Outro motivo do “ódio” pela unidade era que os soldados viam os artistas como protegidos do comandante devido o receio de repercussões negativas caso qualquer problema vazasse para a imprensa, quanto por colegas de unidades que, na maioria das vezes, são muito mais jovens e nutrem admiração pelos ídolos ou inveja pelo tratamento especial, por isso tal categoria foi dissolvida em 2013 pelo Ministério da Defesa, devido às muitas controversas que existiam sobre a mesma.

Como também há a questão do voluntariado, muitos artistas ao se alistarem escolhem servir na Polícia, Corpo de Bombeiro ou na KATUSA (ação militar conjunta entre EUA e Coreia do Sul). Enquanto que outros escolhem caminhos mais difíceis e são extremamente elogiados e reconhecidos pela população, como Lee Seung Gi, ator e cantor condecorado pelas Forças Especiais, Yoon Shi Yoon, também ator que se juntou à Marinha coreana e Siwon do Super Junior que recebeu medalha por sua excepcional atividade como soldado.

Agora sim, vamos entender o que aconteceu nesta semana. Com a aprovação da Lei BTS, agora existe uma exceção para os artistas de K-pop que possuem reconhecimento mundial e ajudam a melhorar o status global do país além de fortalecer a economia.

Por conta de todo aquele problema com a categoria celebrity, foi apresentado que os artistas podem sim adiar o tempo militar, mas conforme vão se aproximando dos 28 anos, algumas restrições iriam acontecer, por exemplo, restringir o tempo fora do país ou o número de vezes que podem sair. Além de conceder isenção a músicos clássicos e atletas que receberam medalhas olímpicas ou ouro nos Jogos Asiáticos, como o Son Heung Min, atacante do Tottenham Hotspur.

Nenhum ídolo de K-pop recebeu isenção, por isso essa nova lei está dando o que falar, ela permite que o artista possa adiar o seu serviço até os 30 anos de idade. O nome da lei se deu devido ao grande fenômeno que o grupo BTS se tornou, sendo inclusive o primeiro grupo de K-pop a estar nas indicações do Grammy.

Desde 2016 o grupo tem se mostrado cada vez mais popular e tendo conquistas nunca vista, por isso com a aproximação do membro mais velho aos 28 anos, Jin, tem trazido preocupações para o fandom.

“Um artista pop recomendado pelo Ministro da Cultura, Esportes e Turismo para melhorar a imagem da Coreia do Sul tanto dentro do país como no mundo pode ter a permissão de adiar o serviço militar até os 30 anos”, informa o Military Service Act sobre o novo quadro.

“Vários homens coreanos na casa dos 20 anos, incluindo o BTS, muitas vezes tinham problemas para provar seus talentos, devido à preocupação com o serviço militar. Essa emenda resolveu um pouco essa preocupação”, Jeon Yong-gi, um dos legisladores do projeto de lei, declarou ao site da ABC News.

Antes da divulgação da aprovação da lei, houve a coletiva sobre o novo álbum dos meninos, e claro que o assunto foi abordado e essa foi a resposta do Jin:

“Como cidadão do sexo masculino da República da Coreia, o alistamento obrigatório é um fato. Quando o país convocar, teremos o maior prazer em responder. Estou planejando servir diligentemente quando chegar a hora. Os membros do BTS e eu temos discutido esse assunto com frequência e todos concordamos que queremos cumprir nossas obrigações militares”, disse Jin.

Esse é mais um ponto para o BTS, que conseguiram uma vitória para os idols, mesmo que agora parece que apenas o grupo será beneficiado. Eu tenho uma visão que muitas empresas começarão a promover muito mais fora da Coreia, o que antes era muito raro né JYP? 

Afinal, agora está previsto em lei que o reconhecimento mundial pode adiar o serviço militar. 

Beijos e Beijos, Kim Nana,

Fontes:

KoreaIn, SUJU Brasil, Portal Pop Line, Uol Notícias e Bangtan BR.

0 Reviews

Write a Review

Avatar

Kim Nana

Canceriana de Curitiba, 22 anos. Jornalista, apaixonada por livros, mangás, manhwa, hq, séries, filmes, doramas, lakrons, documentários e tudo mais. Stay Aroha = Kpoper multifandom. Contado as horas para o debut do Treasure. "Não sou louco, apenas minha realidade é diferente da sua" - Cheshire Cat

0 Reviews

Write a Review

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments
trackback

[…] durante a pandemia, porém, para mim, é impossível negar que o medo também esteja relacionado ao alistamento do Jin, o membro mais […]

1
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x