MateriaNoticias

País de primeiro mundo! Coreia do sul descriminaliza o aborto

Olá meus bombons de licor, tudo bem com vocês?

Hoje nós vamos falar sobre o grandioso passo que a Coreia do sul deu recentemente, descriminalizando o ato do aborto no país!

Nessa última sexta-feira (01/021) o aborto deixou de ser uma prática ilegal no país. Desde 2019, a lei que proibia o procedimento médico foi considerada ilegal pela Suprema Corte do País, que concedeu prazo até 31 de dezembro de 2020 para que o governo realizasse alterações, mas isso não ocorreu. — Estas mudanças chegaram até a ser propostas em outubro de 2020, todavia não foram votadas a tempo.

Com o prazo expirado, a lei perdeu sua validade fazendo com que a prática de interrupção da gravidez não seja mais ilegal.

Anteriormente, a prática era permitida em apenas três casos legais: se a condição fosse decorrente de estupro ou de incesto, ou se a pessoa grávida sofresse risco de vida.

Após 67 anos de proibição, a descriminação foi comemorada por “Na Yong”, líder da organização responsável por defender a mulher, “Share”.

“Os membros da Assembleia Nacional não concordaram em alterar a lei existente, mas a lei deveria expirar após a decisão do Tribunal Constitucional de abril de 2019, que a declarou ilegal. As disposições penais sobre o aborto na lei que o criminalizava não estão mais em vigor a partir de 1º de janeiro de 2021. Estou muito feliz em compartilhar esta boa notícia da Coreia do Sul “, afirmou Young, conforme registrado pela agência de notícias RFI.” Disse ela. (Tradução pelo site AH)

Com as práticas conservadoras da nação, o movimento pró-vida do país demostrou sua indignação diante da liberação. Eles argumentam que a mudança na legislação vai contra o direito do feto à vida, para eles, a lei deveria ser mantida e as punições reforçadas. Por mais que fosse proibida a prática não era muito fiscalizada — assim como no Brasil — contudo, tinham punições; quem praticasse um aborto poderia receber prisão de um ano ou multa de 2 milhões de wons (moeda coreana) cerca de 9.500 reais, E os médicos que realizassem o procedimento poderiam ser presos por até dois anos.

As pessoas contra o aborto, por exemplo, querem que o ato não seja permitido depois de seis ou dez semanas de gravidez, e que profissionais de saúde tenham a opção de poder se recusar a fazer o procedimento.

No Brasil, a legislação permite que o aborto seja realizado apenas em casos de estupro, risco à vida da mãe ou anencefalia.

Confiram alguns dados sobre a prática do aborto ao redor do mundo:

Esse é um assunto bem discutido no Brasil e em escala mundial, então gostaria de saber a opinião de vocês sobre, comentem aqui! Bom meus bombons de licor, por hoje é só … beijos e até a próxima!

Fontes: G1 e Jornal O Povo

Comente e deixe a gente Feliz

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x

Bloqueador de Anuncio Detectado

Dê uma forcinha pra gente e desative seu addblock <3
%d blogueiros gostam disto: